Questões vitais… ou não.

Tenho passado por um período de questionamentos.

Não tem sido fácil, mas ninguém disse que se conhecer e se reconhecer era fácil. Algumas lágrimas são necessárias, apertos no coração são inevitáveis. Mas a recompensa é muito amor, muito sorriso no rosto e orgulho gigante dessa pessoa que está renascendo.

Mas se eu pudesse me dar algumas dicas a 10 anos antes, com certeza eu diria: Carol, você é especial e sempre será. Não deixe que te façam acreditar o contrário. Também não se esforce tanto para se encaixar, não esconda sentimentos que são importantes para você. Se expressar não te faz parecer idiota, mas apenas humana.

Ah, e claro, padrões existem para aqueles que precisam de cartilha para viver. Você não precisa, só precisa acreditar em si mesma, ouvir mais seu corpo.

Leia, leia muito. Aprenda a ser crítica do que lê, em um futuro bem próximo os meios jornalísticos não serão muito confiáveis.

E falando em questões e muito drama, quero muito que vocês tenham contato com essa poesia cantada pelo 5 a Seco com Lenine. Amo demais esse caras. Prestem atenção na letra, como ela diz mais do que as palavras em si, como ela representa o caos da nossa atualidade e a pouca importância que estamos dando a tudo isso. É uma questão (olha a danadinha da questão ai de novo rsrs) de rever prioridades:

Olhe bem
Veja o degelo das calotas do desdém
Que abriu pandora e agora
Pode ser por mal ou ser por bem
Planos pra depois do vendaval

Yes we can
Suave na nave sem vacilo e sem vintém
E não tem trave embora
Agora o trem da história já partiu
Ache a sua própria condução

Pois agulha nunca vai faltar
Para injetar mais caos no caos
Ou não

Olhe só
O nano desespero de voltar ao pó
E a macroeconomia cheia de indecências cambiais
Para engrandecer os campeões

Onde estou
Arroba deus que me dê forças ponto com
E até os fodidos da cabeça sabem recitar de cor
Que de muito antes vem o nó

Mas enquanto o ocidente cai
Ficam para nós questões vitais tais

Será que vai chover agora?
Deitar ou dar um rolê lá fora?
Trepar ou ver TV de peignoir?

Pra já ou no cartão sem juros?
Com mel, gelo e limão ou puro?
Comprar um novo apê ou um all star?

Paz.

Vamos falar sobre: Dr. House e o Blues

Amo assistir ao seriado House.

Fico reprisando no Netflix incessantemente até enjoar. Porque a relação do Dr. House com suas equipes de diagnósticos é tão turbulenta e impressionante, não é apenas medicina e sim um estudo desinteressado das relações humanas, da ética, e da nossa relação com a dor e a tristeza.

A personalidade desse médico nada convencional nos atrai de uma forma que nos pegamos as vezes por aplaudir condutas que na verdade são censuráveis. Mas um lado dessa personalidade que mais me atrai é a sua sensibilidade para a música, mais especificamente para o blues. Na série ele toca piano, mas na vida real também é ligado a música. O ator Hugh Laurie também é um premiado músico britânico.

E como com todos aqueles que eu admiro o trabalho e a vida, não me privei de ir em busca de um pouco mais dessa arte que ele aprecia, e que não achei que fosse mal beber da mesma fonte.

Primeiro um pouco de didática resumida:

O blues teve sua origem na expressão cultural através da música de uma minoria ligada à população negra americana. Eles procuravam redenção na música, tentando explicar através dela seus sentimentos, e por um bom tem tempo o blues foi o reflexo dos negros… O blues foi criado por músicos que não tinha conhecimento teórico musical e por isso tinha como fundamento a improvisação das letras e improvisação instrumental, que é uma das principais diferenças do Blues em relação ao Jazz.

Fonte: Agudos e Graves

Não vou discorrer aqui sobre grandes nomes do Blues e de sua história, mas sobre o que eu senti ao ouvi-lo. Como eu falava de poesia e poemas agora há pouco, deixei a criatividade voar por essa letra que é um verdadeiro poema:

So many days since you went away
I often think of you night and day
But I know that someday
Someday darling I won’t be trouble no more
Trouble trouble and misery
Is about to get the best of me
But I know that someday, someday darling
I won’t be trouble no more

I told you my story
I sang my song
about you leaving baby
you know that’s wroing
But oh, someday, someday darling
I won’t be trouble no more

Como no poema, ouvi a letra algumas vezes até começar a criar um cenário na minha mente. A impressão que tenho é que houve, claro, um término de relacionamento e a música fala sobre a promessa de ser melhor, de mudar, pois agora ele é só “Trouble trouble and misery” (problema e miséria). Então eu me encontro em um ambiente mais escuro e com fumaça de cigarro, em uma época de glamour mas também de opressão. O relacionamento já desgastado pelos tropeços e caídas do parceiro, e por fim o abandono. O ex-parceiro não conseguiu largar dos maus vícios, as manias erradas e acabou sufocando qualquer sentimento. Quem se foi não vai voltar, provavelmente, pois já esgotou suas esperanças. Mas o ex-parceiro acredita em sua própria promessa, um dia ele não será mais o problema.

Olha ai o texto nos contando mais do que as palavras podem dizer! Claro que foi mais uma descoberta maravilhosa. Isso é mágico. Eu já tinha tido experiências com o jazz e o blues e gostado muito, mas esse novo olhar para a poesia deixa o mundo um pouco maior.

Pra finalizar, não posso deixar de exemplificar o ótimo trabalho de Hugh Laurie:

Fascinante!

Paz.

25: Reconcialiação

Estava lendo sobre o novo álbum da Adele, que será lançado em novembro.

Adele fez um comunicado em seu twitter sobre os 3 meses que ficou afastada e sobre o conceito do novo álbum, e esse comunicado me atingiu forte. Sabe aquela sensação de “não estou sozinha no mundo”? Minha terapeuta já me disse pra tatuar isso. Tenho tido essa sensação várias vezes ultimamente, ainda bem. Egocentrismo não tem nenhum glamour… segue o comunicado dessa diva que é a Adele (mais uma pra minha lista):

Quando eu tinha 7 anos, eu queria ter 8. Quando eu tinha 8, queria ter 12. Quando eu completei 12, queria ter 18. Após isso, eu parei de querer ficar mais velha. Agora digo que tenho entre 16 e 24 só para ver se passo despercebida! Eu sinto que passei minha vida inteira até agora desejando algumas coisas. Sempre desejando ficar mais velha, desejando estar em outro lugar, desejando lembrar e desejando esquecer também. Eu sinto que passei minha vida toda até agora querendo isso. Sempre desejando que eu fosse mais velha, desejando que eu estivesse em algum lugar, desejando poder lembrar e poder esquecer também. Desejando que eu não tivesse arruinado tantas coisas boas porque eu estava assustada e entediada. Desejando que eu não fosse tão certinha toda hora. Desejando que eu tivesse conhecido melhor minha bisavó, e querendo que eu não me conhecesse tão bem, porque isso significa que eu sempre vou saber o que vai acontecer. Desejando não ter cortado meu cabelo, querendo ter 1,70m. Desejando que eu tivesse esperado e desejando que eu tivesse me apressado também.

Meu último CD foi um sobre término e se eu tivesse que definir esse seria sobre reconciliar. Eu estou fazendo as pazes comigo mesma. Recuperando o tempo perdido. Compensando tudo o que eu fiz e o que eu não fiz. Mas eu não tive tempo para me agarrar ao passado como eu fazia antes. O que está feito, está feito. Completar 25 anos foi um ponto de transformação para mim, bem no meio dos meus 20 anos. Oscilando entre o final da minha velha adolescência e da minha vida completamente adulta. Eu tomei a decisão de ser quem eu serei para sempre, sem encher um caminhão de mudanças com as minhas antiguidades. Eu sinto falta de tudo sobre meu passado, as coisas boas e as ruins, mas só porque elas não irão voltar. Quando eu estava lá, eu queria sair. Tão típico! É sobre ser uma adolescente, saindo por aí e falando merda, sem ligar para o futuro porque isso não importava tanto quanto importa agora. A habilidade de ser irreverente sobre tudo e não ter consequência. Até mesmo seguir ou quebrar as regras… Que é bem melhor que fazê-las.

’25′ é sobre conhecer quem eu me tornei sem nem me tocar disso. E me desculpem ter demorado tanto tempo, mas sabe, acontece.
Com amor, Adele.

Estou com 25. Esse ano foi um ano de mudanças para mim. Primeiro, foi como um divisor de águas, da Carol menina para a Carol mulher em vários aspectos. Depois, foi uma montanha russa de emoções, de decepções e descobrimentos. E agora estou em uma fase de adaptação, me amando muito mais e me permitindo ser mais eu mesma. Tudo muito difícil, as vezes doloroso, mas acima de tudo gratificante. Claro que não foi do nada, mas acontecimentos fortes me levaram a isso e eu estou aprendendo com eles.

Não sei se é algum tipo de ‘crise dos 25 anos’, mas estou certa de que é um processo que todos precisam passar mais cedo ou mais tarde. Encontrar sua essência, lutar por você e acreditar no seu potencial. E mesmo com todas as pedras que coloquei encontrei no caminho, não importa, eu estou amando esse roteiro que estou criando para o meu próprio filme.

Obrigada querida Adele.

Paz.

*Atualização: Liberaram hoje, 23OCT, o novo single da Adele – Hello:

Poemas: estou fazendo isso errado.

Descobri que ler poemas não é tão simples assim.

Sempre achei que fosse questão de gosto, que não era minha praia, que era coisa de gente muito viajada (na maionese). Mas meus queridos, cai do cavalo e o tombo foi feio. E foi lindo também.

Vou explicar. Um dia desses eu estava assistindo um filme chamado “Mentes Perigosas” e a história era a já conhecida sobre a professora (o) que tem um grande desafio pela frente ao assumir uma classe de alunos desacreditados por todos e com um péssimo comportamento. Mas o que  fudeu  explodiu com minha mente foi a aula sobre como ler poemas. A professora explicou a necessidade de interpretar e reconhecer os códigos dos versos. Poemas não são feitos no sentido literal!

Foi nesse momento que eu pensei: estou fazendo isso errado. Então resolvi pesquisar mais sobre isso, já que minha memória sobre o que é poesia, poema, e soneto já estava bem fraca. Segue um resumo que gostei bastante:

No sentido etimológico, poesia vem do grego poiesis, que pode ser traduzido como a atividade de produção artística ou a de criar ou fazer. Com base nisso, a poesia pode não estar só no poema, mas também em paisagens e objetos. Trata-se, enfim, de uma definição mais ampla, que abarca outras formas de expressão, além da escrita.

Já o poema também é uma obra de poesia, mas que usa palavras como matéria-prima. Na prática, porém, convencionou-se dizer que tanto o poema quanto a poesia são textos feitos em versos, que são as linhas que constituem uma obra desse gênero.

Por fim, o soneto é um poema de forma fixa. Tem quatro estrofes, sendo que as duas primeiras se constituem de quatro versos, cada uma, os quartetos, e as duas últimas de três versos, cada uma, os tercetos. Todos eles têm dez sílabas poéticas, classificando-se como decassílabos. Os sonetos costumam ter uma estrutura semelhante. O texto começa com uma introdução, que apresenta o tema, seguida de um desenvolvimento das ideias e termina com uma conclusão, que aparece no último terceto. Essa é, em geral, a estrofe decodificadora de seu significado.

Fonte: Nova Escola

Também assisti a algumas aulas online sobre como ler poemas e interpretá-los, então vou fazer um teste e vocês podem dizer o que acharam. O que foi mais comentado é que cada leitor pode interpretar um poema de uma forma diferente, dependendo das experiências já vividas, sentimentos atuais e compreensão de mundo. E uma dica interessante é trabalhar com a musicalidade do poema, pois como obras de arte a música e a escrita se encontram diversas vezes nos versos.

Esse poema eu li hoje no blog A Parte e o Todo de Mim da Cris Campos. Obrigada Cris pela autorização de utilizar esse belo poema!

aqui onde você
metal e pluma
num todo só
serpeiam penugens

labirinto natural de reações
ideia concreta de sentidos
delicados mapas

rios que beiram terras
num dia que não finda
e nem quer.

A minha impressão mais forte depois de lê-lo 2 vezes (dizem que ler o poema várias vezes é fundamental) é de que o corpo humano está sendo retratado nesses versos, em uma situação de corpos se descobrindo:

labirinto natural de reações
ideia concreta de sentidos

A parte  das penugens também me chamou atenção para isso. “Metal e pluma“, esse verso me fez pensar em quanto somos fortes e sensíveis ao mesmo tempo. Temos pele e músculos que nos protegem fisicamente, mas não só isso. Nossa mente também nos fazer sentir muitas vezes poderosos quando estamos de bem com quem somos. Mas ao mesmo tempo somos sensíveis as palavras, ao toque de quem gostamos, e aos sentimentos que não controlamos. Por isso choramos, rimos, ficamos depressivos, voamos leve quando estamos amando, mas nos despedaçamos quando somos incompreendidos ou decepcionados.

Como eu disse, o tombo foi lindo. Vocês podem perceber quanto sentimento, informação e história tiramos de um único verso? Estou extasiada com essa nova janela que abriu no meu pequeno mundinho.

Então, possivelmente verão mais impressões de leitura de poemas por aqui. 😉

Paz

Manda nudes!

_ Então, depois daquele dia ela nunca mais falou com você?
_ É, basicamente isso.
_ E o que você fez pra ela fugir?
_ Nada demais, ela pediu um nudes e eu mandei um poema.
_ Que porra tu tava pensando ao mandar poesia pra ela?
_ Ora! Ela num queria me ver nu? Então, não existe lugar algum em qu’eu fique mais despido que um poema.

(Gonzaga Neto)

Retirado do Facebook do Heder Novaes

Paz

Plantar pássaros

Preciso compartilhar isso.

passaro-pega-semente-grao-em-comedouro-1329164576561_615x300

O texto “Plantar Pássaros” me tocou muito e quero que vocês também tenham acesso. Foi escrito por Diego Engenho Novo em seu blog Palavra Crônica. Ele em parceria com a numeróloga Lúcia Rosa tentaram descobrir qual é a crônica perfeita pra cada signo. Acredito muito que a energia do Universo influencia nossos humores e personalidades, pois já que o céu influencia os mares por quê não nos influenciaria também?

O texto para o meu signo, Peixes, me fez pensar e acho que independente do signo a mensagem tem que ser absorvida por todos. Que não tentemos mudar as pessoas que amamos para adequá-las a nossa vontade, a sua felicidade pode não ser a de outra pessoa. Se a quer por perto, apenas aceite-a e viva a sua presença.

Essa conversa com Gualter me lembrou uma antiga canção basca que adoro: “Eu me apaixonei por um pássaro. Eu queria cortar as suas asas para que ele nunca me deixasse, mas ele não seria mais o pássaro por quem me apaixonei”.

Leia o texto completo.

Para ler a crônica do seu signo acesse aqui.

Paz

Mais uma! Tag da Irmandade dos Blogueiros do Mundo

Minha gente, mais uma TAG! Amo muito tudo isso demais!

wpid-wp-1441747549287

Quem me convidou para responder essa Tag foi a lindíssima Glenda do blog Meu Nome não é Gabriela, muito obrigada Glenda!

E as regras são:

  • Inserir o logotipo da Tag
  • Agradecer e marcar o Blog que te indicou
  • Responder a dez perguntas
  • Indicar dez blogueiros e avisá-los
  • Criar dez novas perguntas para os indicados

Essas são as perguntas que a Glenda fez:

  • O quê te motivou a criar um blog?

Eu precisava de um escape para a minha mente em um momento da minha vida em que eu estava tentando me encontrar, precisava me acalmar. Descobri que estava com Síndrome de Ansiedade Generalizada, comecei o tratamento para não cair em uma depressão e o blog me ajudou muito a parar de ter tiques nos olhos e ouvir vozes  a encontrar criatividade, ânimo e um pouco de humor dentro de mim!

  • Filmes ou séries?

Que pergunta difícil!! Amo muito filmes e séries, mas  acho que meu coração pende mais para o lado das séries. Principalmente as mais antigas e que não canso de rever: E.R., Friends, The O.C., Dawson’s Creek, Um Maluco no Pedaço, Todo mundo odeia o Chris, Três é Demais, Smallville, House, CSI, etc. Das mais atuais curto muito Grimm, Sense 8, The Blacklist, Agents of S.H.I.E.L.D. e quero muito começar Narcos!

  • Verão ou inverno?

Na verdade prefiro o Outono, por que gosto muito do Sol mas não curto o calor de 40 ºC.

  • Comer ou dormir?

Poxa Glenda, você quer me matar. Mas acho que dormir, esse com certeza é meu hobby rsrs.

  • Como você se imagina daqui a 10 anos?

Não tenho a menor ideia. Ainda não sei como vou estar ano que vem rsrs.

  • Quais as pessoas mais importante na sua vida?

Meus pais com certeza, são a minha base e minha força. Sei que posso contar com eles para o que precisar, que vou encontrar neles o apoio que preciso e os conselhos mais valiosos. Eles tem meu respeito e minha admiração. E devo muito também aos meus avós, que sempre participaram da minha criação.

  • Você tem animais de estimação?

Sim! Dois cachorros que amo. Se não os conhece ainda veja esse post.

  • O quê é pior: colocar o leite no copo e ver que não tem Nescau ou abrir o freezer para pegar sorvete e ver que o pote ta cheio de feijão?

Nesse caso o pote de feijão rsrs. Como não tomo Nescau, ficaria putíssima muito brava se não tivesse café para colocar no leite.

  • Pior programa de TV?

Acho que o Programa do Ratinho, já tentei assistir mas não desce. Existe ainda?

  • Qual o maior mico que já passou?

Eu sempre fui campeã em estar falando mal de alguém (shame on me) e a pessoa chegar bem nesse momento, principalmente na faculdade, falando mal dos professores ¯\_(ツ)_/¯.

Agora, minhas perguntas:

  1. Qual música está no seu repeat agora?
  2. Existe algum livro que está lendo ou que deseja muito ler? Se sim, nos conte um pouco mais sobre ele?
  3. Qual a frase ou palavra que você mais repete? Coloque ela em uma frase para que possamos entender como a usa.
  4. Cinema ou sofá da sala?
  5. O que esta frase significa para você: ” A beleza é a verdade, a verdade a beleza.”  – Ode a uma Urna Grega, John Keats.
  6. Qual é ou foi a sua viagem dos sonhos?
  7. O que te irrita muito e te tira do sério?
  8. O que te deixa muito feliz, agradecido ou abençoado?
  9. Existe alguma barreira ou limite pessoal que está tentando quebrar? Qual? Nada de segredinhos, põe na roda!
  10. Cite uma mulher que te inspira e que você tem orgulho.

Indicados e indicadas:

*Gente, desculpa, mas eu não conheço tantos blogueiros ainda e a maioria que eu conheço já responderam essa Tag. Mas quem mais quiser responder, fique a vontade! (coisa de principiante rsrs).

Paz