Questões vitais… ou não.

Tenho passado por um período de questionamentos.

Não tem sido fácil, mas ninguém disse que se conhecer e se reconhecer era fácil. Algumas lágrimas são necessárias, apertos no coração são inevitáveis. Mas a recompensa é muito amor, muito sorriso no rosto e orgulho gigante dessa pessoa que está renascendo.

Mas se eu pudesse me dar algumas dicas a 10 anos antes, com certeza eu diria: Carol, você é especial e sempre será. Não deixe que te façam acreditar o contrário. Também não se esforce tanto para se encaixar, não esconda sentimentos que são importantes para você. Se expressar não te faz parecer idiota, mas apenas humana.

Ah, e claro, padrões existem para aqueles que precisam de cartilha para viver. Você não precisa, só precisa acreditar em si mesma, ouvir mais seu corpo.

Leia, leia muito. Aprenda a ser crítica do que lê, em um futuro bem próximo os meios jornalísticos não serão muito confiáveis.

E falando em questões e muito drama, quero muito que vocês tenham contato com essa poesia cantada pelo 5 a Seco com Lenine. Amo demais esse caras. Prestem atenção na letra, como ela diz mais do que as palavras em si, como ela representa o caos da nossa atualidade e a pouca importância que estamos dando a tudo isso. É uma questão (olha a danadinha da questão ai de novo rsrs) de rever prioridades:

Olhe bem
Veja o degelo das calotas do desdém
Que abriu pandora e agora
Pode ser por mal ou ser por bem
Planos pra depois do vendaval

Yes we can
Suave na nave sem vacilo e sem vintém
E não tem trave embora
Agora o trem da história já partiu
Ache a sua própria condução

Pois agulha nunca vai faltar
Para injetar mais caos no caos
Ou não

Olhe só
O nano desespero de voltar ao pó
E a macroeconomia cheia de indecências cambiais
Para engrandecer os campeões

Onde estou
Arroba deus que me dê forças ponto com
E até os fodidos da cabeça sabem recitar de cor
Que de muito antes vem o nó

Mas enquanto o ocidente cai
Ficam para nós questões vitais tais

Será que vai chover agora?
Deitar ou dar um rolê lá fora?
Trepar ou ver TV de peignoir?

Pra já ou no cartão sem juros?
Com mel, gelo e limão ou puro?
Comprar um novo apê ou um all star?

Paz.
Anúncios

3 pensamentos sobre “Questões vitais… ou não.

  1. Ouvir seu corpo…é verdade, ele sempre te diz o que fazer, nós é que não damos atenção. Não sei se teria ouvido meus conselhos a dez anos atrás, gosto de pensar que sim, mas acho que ficaria em dúvida. Provavelmente me dei os conselhos certos e não ouvi mesmo. Mas é uma forma de aprender, somos o nosso resultado. Daqui, o que vejo, gosto do seu. Se consegue ver essas coisas por si só, está indo bem. Amo Lenine, mas confesso que não conhecia o 5 a seco. Gostei muito. Beijos Carol. 😉

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s